Como criar um portfólio de redator [mesmo sendo iniciante]

O portfólio reúne textos criados pelo redator freelancer e serve para demonstrar suas habilidades em redação web para possíveis clientes.

Antes de contratar um redator freelancer, é normal que o cliente queira ver amostras de textos do profissional.

Daí a importância de criar um portfólio de redator. O portfólio é o local onde os textos do redator web estão reunidos.

Mas, quem ainda não conseguiu o primeiro trabalho e, portanto, não tem textos publicados, como faz para montar um portfólio?

Além disso, muitas vezes o redator não tem seu nome divulgado nos textos que produz. Logo, esses textos também não podem compor um portfólio. O que fazer nesse caso?

A boa notícia é que, mesmo sendo um novato ou tendo feito apenas trabalhos como ghostwriter (sem atribuição de autoria), você pode criar um portfólio de redator para divulgar seus serviços!

Portfólio de redator iniciante

A forma de montar seu portfólio como redator freelancer vai depender do que você já produziu.

Se você está começando do zero ou só fez trabalhos como ghostwriter, precisa criar seus primeiros textos para mostrar aos possíveis clientes. Nesse caso, temos as seguintes opções:

Publicar artigos no LinkedIn

O LinkedIn é um rede social profissional. Portanto, é um dos melhores locais para publicar artigos, pois, além de criar amostras para incluir no portfólio, seu conteúdo pode ser visto por clientes em potencial.

Criar um blog

Você pode fazer como eu, criar um blog com seu nome ou escolher um domínio relacionado a algum assunto sobre o qual escreve.

Lembrando que, embora alguns redatores atuem como generalistas, escolher um nicho é importante para se tornar um redator web de sucesso.

Inclusive, dá para criar um blog gratuito no WordPress.com. Mas o ideal é ter um domínio próprio com hospedagem.

Ser redator voluntário

Você pode oferecer seus serviços de redator para blogs de ONGs e instituições. O site Politize, por exemplo, tem uma rede de redatores voluntários.

Google Drive

O Google Drive é o serviço de armazenamento em nuvem do Google, que tem seu próprio editor de textos gratuito, o Google Docs.

Então você pode simplesmente criar alguns textos com o Google Docs, colocar em uma pasta do Google Drive e enviar o link quando um cliente solicitar seu portfólio.

Ou criar os textos no Word mesmo e fazer o upload para o Google Drive.

Vale ainda usar um encurtador de links, como o Bityli, para personalizar o link do seu portfólio de redator.

Veja também: redator freelancer: quanto cobrar por texto?

Plataformas para criar portfólio

Existem plataformas que facilitam a tarefa de criar um portfólio de redator freelancer. Conheça as duas principais a seguir:

Contently

A Contently é uma plataforma gratuita de criação de portfólio, perfeita para organizar trabalhos já publicados. Basta se cadastrar e montar um projeto, a partir dos links dos textos que deseja incluir no seu portfólio.

Além de organizar seus textos, você pode adicionar um resumo profissional e botões para suas redes sociais no portfólio da Contently.

Journo Portfolio

Outra plataforma de portfólio voltada a redatores, jornalistas e produtores de conteúdo em geral. Tem a versão gratuita e planos de assinatura.

O Journo Potfolio permite tanto importar os textos que vão compor o portfólio a partir de uma URL ou PDF quanto escrever diretamente na plataforma.

Por isso, é uma opção válida para redatores iniciantes.

Portfólio ou blog: qual escolher?

Como expliquei, um criar um blog é uma opção para o redator iniciante que ainda não escreveu textos para clientes. O mesmo vale para quem só publicou textos sem atribuição de autoria (como ghostwriter).

Com um blog você vai colocar em prática conhecimentos e habilidades além da redação, como planejamento de conteúdo e otimização para mecanismos de busca (SEO).

Se fizer um bom trabalho de SEO, a médio e longo prazo seu blog pode aparecer nos primeiros resultados da pesquisa do Google, podendo ser encontrado pelos clientes.

Você até pode ter uma página de portfólio no blog. Esta página vai conter links para textos publicados em outros sites (desde que o cliente tenha autorizado a divulgação).

Porém, você não deve reproduzir textos criados para clientes no seu próprio blog, pois fazer isso pode afetar o SEO.

Então, resumindo: para conteúdos já publicados, insira os links na página de portfólio do seu blog ou use plataformas como a Contently.

Agora é hora de colocar as dicas em prática e montar seu portfólio para mostrar aos clientes. Como você vai criar o seu? Deixe um comentário!

8 comentários em “Como criar um portfólio de redator [mesmo sendo iniciante]”

  1. Eu utilizava diversas planilhas do Google Sheets separadas por temas e nelas eu colocava o título do post e o link e colocava cada uma numa pasta do Google Drive, porém como na época eu prospectava pelo 99Freelas não tinha certeza se o cliente via a pasta e/ou abria os links, então finalizei meu blog, tem 5 artigos já e agora só utilizo ele.

    1. Acho super válido investir num blog próprio, porque, além de passar credibilidade, permite que a gente exercite a parte de estratégia de conteúdo e SEO. Obrigada pela visita e parabéns pelo projeto concluído, Leonardo!

  2. Gabriel Pereira Ribeiro

    Amei seu conteúdo. Direto e autêntico.
    Ótimo para mim que estou começando no meio.
    Há como acessar o seu portfólio, para me inspirar e ter como exemplo?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *